sábado, 31 de agosto de 2013

"Narrativas do Grotesco Cotidiano" na Mostra "Passageiros" (2013)

Fábio Purper Machado, "Narrativas do Grotesco Cotidiano"

De 21 a 30 de agosto de 2013 o MASM sediou a Mostra Passageiros, em parceria com a Galeria Mamute e com curadoria de Débora Aita Gasparetto, contando com uma narrativa minha em vídeo, "Narrativas do Grotesco Cotidiano" e trabalhos de outros sete artistas: Anelise Witt, Angelo Bissacotti Brum, Cristiano Lenhardt, Eduardo Montelli, Mirieli Costa, Paula Witeck e Rafael Berlezi.

Fábio Purper Machado, "Narrativas do Grotesco Cotidiano" Fábio Purper Machado, "Narrativas do Grotesco Cotidiano"

Visite a página da extensão virtual da exposição, com os vídeos na íntegra: mostrapassageiros.wix.com/passageiros

A seguir alguns trechos do texto curatorial, por Débora Aita Gasparetto (versão completa no link acima):
A mostra Passageiros levou a videoarte para dentro do MASM (Museu de Arte de Santa Maria - RS). A mostra foi uma realização da Galeria Mamute, com o apoio do PPGART/UFSM, Labart e do PPGAV/UFRGS. Esta foi a primeira, de uma série de mostras de Videoarte, que acontecerão no Rio Grande do Sul, a partir de um projeto colaborativo proposto pela Galeria Mamute, ativando espaços culturais, artistas e curadores. Em paralelo à mostra no espaço expositivo do MASM, que aconteceu de 21 a 30 de agosto de 2013, a exposição virtual segue aqui, possibilitando o acesso permanente pela rede, confira! A proposta é construir uma narrativa pautada nas questões críticas que permeiam o trabalho dos artistas selecionados, todos jovens artistas gaúchos.
[...] 
Fábio Purper Machado, com as Narrativas do Grotesco Cotidiano (2012), também se interessa pelos meios de comunicação e pelas sociedades de controle. O artista, que tem um sólido trabalho em narrativas com fotografias de esculturas, as chamadas HQ-Escultura, nesta oportunidade transporta para o vídeo suas críticas. Primeiramente, ele baseia-se em Deleuze para demonstrar que as prisões estão para além das celas, invadindo o cotidiano, e na sequência, em “Claustros”, temos a imposição de outra temporalidade, aquela ditada pelo artista, ao ritmo das “cavernas” contemporâneas de controle e dos sujeitos, cada vez mais, “aparelhados” que tentam “transpor seus limites”.

A exposição noticiada no Jornal do Almoço (RBS): globotv.globo.com/rbs-rs/jornal-do-almoco/v/voce-conhece-a-videoarte/2776945

Portfolio no Issuu.com